• Professor Filemon

SUBSTANTIVO


Definição


Substantivo é a palavra variável em gênero, número e grau que dá nome aos seres em geral.


São, portanto, substantivos:


a) os nomes de coisas, pessoas, animais, vegetais, lugares, instituições: livro, Carla, papagaio, hortênsia, Lisboa, Brasília, júri, casamento


b) os nomes de ações, noções, estados ou qualidades, tomados como seres: trabalho, corrida, justiça, saudade, beleza, liberdade, alegria, amizade


Formação dos substantivos


Quanto à formação, o substantivo pode ser:


Primitivo – quando não provém de outra palavra existente na língua portuguesa: flor, pedra, ferro, casa, jornal


Derivado – quando, pelo processo de derivação, provém de outra palavra da língua portuguesa: florista, pedreiro, ferreiro, caseiro, jornaleiro


Simples – quando é formado por um só radical: água, pé, couve, amor, tempo, Sol, mar, pomba


Composto – quando é formado por mais de um radical: água-viva, pé-de-cabra, couve-flor, amor-perfeito, passatempo, girassol, pomba-do-mar


Classificação dos substantivos

Quanto ao elemento que designa, o substantivo classifica-se em:


Comum – quando designa genericamente qualquer elemento da espécie: rio, cidade, país, menino, aluno


Próprio – quando designa especificamente um determinado elemento. Os substantivos próprios são sempre grafados com inicial maiúscula: Mato Grosso, Brasília, Angola, Thiago, Thalita, Fluminense Football Club


Concreto – quando designa seres de existência real ou não: coisas, pessoas, animais, lugares, etc. (verifique que é sempre possível visualizar em nossa mente o substantivo concreto, mesmo que ele não possua existência real): mesa, cadeira, lápis, homem, gato, lago, fada, bruxa, duende


Abstrato – quando designa noções, ações, estados e qualidades tomados como seres. Os substantivos abstratos, por não terem existência própria, sempre estarão apoiados em algo para serem percebidos: saudade, estudo, lembrança, perigo, coragem, altura, amizade.


Os substantivos abstratos são, em geral, derivados de verbos ou adjetivos:


trabalhar - Trabalho

correr - Corrida

alto - altura

Belo - beleza




Substantivos coletivos


Entre os substantivos comuns, merecem destaque os coletivos, aqueles que, mesmo no singular, designam um conjunto de seres ou coisas de mesma espécie.


Veja alguns substantivos coletivos que merecem destaque:


acervo: de obras artísticas

alcateia: de lobos

álbum: de fotografias, de selos

antologia: de trechos literários escolhidos

armada: de navios de guerra

colmeia: de abelhas

concílio: de bispos

conclave: cardeais em reunião para eleger o papa

congregação: de professores, de religiosos

congresso: de parlamentares, de cientistas

arquipélago: de ilhas

conselho: de ministros

assembleia: de parlamentares, membros

arsenal: armas e munições

atilho: de espigas de milho

atlas: de cartas geográficas, de mapas

baixela: de objetos de mesa

constelação: de estrelas

consistório: cardeais sob a presidência do papa

corja: de vadios

elenco: de artistas

enxame: de abelhas

banca: de examinadores

esquadra: de navios de guerra

bandeira: garimpeiros, exploradores de minérios

bando: de aves, de pessoas em geral

cabido: de cônegos

cacho: de uvas, de bananas

cáfila: de camelos

camarilha: de bajuladores

cambada: de ladrões, caranguejos ou chaves

esquadrilha: de aviões

falange: de soldados, de anjos

farândola: de maltrapilhos

fato: de cabras

fauna: de animais de uma região

feixe: de lenha, de raios luminosos

flora: de vegetais de uma região

cancioneiro: de poemas, de canções

frota: de navios mercantes, de táxis, de ônibus

caravana: de viajantes

cardume: de peixes

clero: de sacerdotes

júri: de jurados

legião: de anjos, de soldados, de demônios

malta: de desordeiros

manada: de gado de grande porte

matilha: de cães de caça

girândola: de fogos de artifício

horda: de invasores, selvagens ou bárbaros

junta: de bois, de médicos, de examinadores

quadrilha: de ladrões, de bandidos

ramalhete: de flores

rebanho: de gado em geral

récua: de animais de carga

réstia: de alhos, de cebolas

molho: de chaves

ninhada: de pintos, de filhotes

nuvem: de gafanhotos

pelotão: de soldados

penca: de bananas, de chaves

pinacoteca: de pinturas

plantel: de animais de raça, de atletas

plêiade: de pessoas notáveis

repertório: de peças teatrais, de anedotas

romanceiro: de poesias populares

resma: de papel

revoada: de pássaros

súcia: de pessoas desonestas

tropa: de animais de carga, de soldados

vara: de porcos

vocabulário: de palavras

Flexão de gênero


Em português, os substantivos podem ser do gênero masculino ou feminino.


a) são masculinos os substantivos a que se pode antepor o artigo o: o livro, o caderno, o telefonema, o clima, o maracujá, o café

b) são femininos aqueles a que se pode antepor o artigo a: a borracha, a caneta, a tribo, a libido, a gente, a menina, a alface


Não confunda gênero com sexo. O gênero é gramatical, isto é, mostra se a palavra é masculina ou feminina. Evidentemente, livro, caderno, borracha, caneta, que são coisas, não possuem sexo, embora seus nomes possam se apresentar no gênero masculino ou feminino.


Já o substantivo vítima pertence ao gênero feminino (a vítima), conquanto possa se referir a pessoas de ambos os sexos.


Ainda com relação ao gênero, dependendo da forma que assumem, os substantivos são classificados em biformes e uniformes.


Substantivos biformes


Substantivos biformes são os que designam pessoas ou animais e que apresentam duas formas, uma para o masculino, outra para o feminino:


aluno menino moço gato - masculino

aluna menina moça gata - feminino

pai homem carneiro bode - masculino

mãe mulher ovelha cabra - feminino


Observe que a forma feminina dos substantivos do segundo bloco de exemplos não é marcada pela desinência. É uma palavra diferente da masculina, proveniente de outro radical. A esses substantivos damos o nome de heterônimos.


Substantivos uniformes


Substantivos uniformes são os que apresentam uma única forma, tanto para o masculino como para o feminino. Subdividem-se em epicenos, comuns de dois gêneros e sobrecomuns.


Substantivos epicenos

Epicenos são substantivos uniformes que designam animais: a onça, a borboleta, a foca, o jacaré, o peixe, o pinguim


Caso se queira especificar o sexo do animal, devem-se acrescentar as palavras macho ou fêmea: a onça macho, o jacaré fêmea, o pinguim macho, a foca fêmea.


Observe que o substantivo não muda de gênero: onça e foca sempre serão

substantivos femininos; jacaré e pinguim sempre serão substantivos masculinos.


Substantivos comuns de dois gêneros


São substantivos uniformes que designam pessoas. Nesse caso, o gênero é indicado pelo artigo ou outro determinante qualquer: o colega, a colega; o gerente, a gerente; estudante esforçado, estudante esforçada; este cliente, aquela cliente; meu dentista, minha dentista; artista bonito, artista bonita


Todos os substantivos terminados em -ista são comuns de dois gêneros: o artista, a artista; o acionista, a acionista; o dentista, a dentista; o jornalista, a jornalista


Substantivos sobrecomuns


São substantivos uniformes que designam pessoas. Nesse caso, o gênero é fixo (sempre masculino ou sempre feminino): a criança, o cônjuge, a pessoa, a criatura, a testemunha, o guarda-costas


Caso se queira especificar o sexo do ser representado pelo substantivo, procede-

se assim: uma criança do sexo masculino, uma pessoa do sexo feminino, o cônjuge varão, o cônjuge varoa, etc.


Substantivos de gênero duvidoso


são palavras masculinas

o ágape

o alvará

o anátema

o aneurisma

o apêndice

o avestruz

o cateter

o champanha

o clã

o dó (pena, compaixão)

o eclipse

o eczema

o edema

o diabetes

o estratagema

o fibroma

o formicida

o guaraná

o hangar

o lança-perfume

o plasma

o proclama

o tamanduá

o telefonema

o teorema

o tracoma

o trema

são palavras femininas

a aguardente a alface

a análise

a bacanal

a cal

a cataplasma

a comichão

a couve-flor

a derme

a dinamite

a ênfase

a entorse

a gênese

a hélice

a libido

a omelete

a omoplata

a sentinela


são palavras masculinas ou femininas

o/a aluvião

o/a caudal

o/a amálgama

o/a personagem

o/a tapa

o/a sabiá

o/a usucapião

o/a suéter

Oposição gênero/sentido


Há substantivos idênticos na forma, porém de gêneros diferentes e significados diferentes. Veja alguns exemplos:


substantivo masculino significado

o águia — esperto, velhaco

o banana — palerma

o cabeça — o chefe o líder

o capital — o dinheiro, os bens

o rádio — aparelho receptor


substantivo feminino significado

a águia — ave de rapina

a banana — fruta

a cabeça — parte do corpo

a capital — cidade principal

a rádio — estação transmissora


É importante notar que não está ocorrendo flexão de gênero. Os substantivos o grama/a grama, por exemplo, são idênticos na forma, mas diferentes no gênero e na origem, ou seja, o grama (unidade de massa) e a grama (relva, capim) são palavras completamente distintas.

Flexão de número


Quanto ao número, o substantivo pode ser singular ou plural:

aluno — alunos

relógio — relógios


Há, no entanto, substantivos que só aparecem no plural. Vejamos alguns:

os afazeres

as alvíssaras

os anais

os arredores

as cãs

as cócegas

as condolências

as custas

as exéquias

as férias

as fezes

as hemorroidas

as núpcias

os óculos

as olheiras

os parabéns

os pêsames

os víveres

Plural com alteração de timbre de vogal tônica


Em certas palavras, ocorre mudança de timbre da vogal tônica por influência de uma vogal átona posterior. A esse fenômeno dá-se o nome de metafonia (meta = “mudança”; fonia = “som”)


No caso dos substantivos, alguns deles sofrem metafonia ao se pluralizarem, mudando o o fechado (ô) para o o aberto (ó). Vejamos alguns exemplos:


Plural dos substantivos simples


1. Substantivos terminados em vogal ou ditongo: em geral formam o plural pelo acréscimo da desinência -s:


isqueiro — isqueiros

mesa — mesas

peru — perus

pai — pais

mãe — mães

menino — meninos

troféu — troféus

degrau — degraus


2. Substantivos terminados pelo ditongo nasal –ão: fazem o plural de três maneiras:


a) terminação em -ões (a maioria desses substantivos e todos os aumentativos):

balão - balões

fração - frações

canção - canções

eleição - eleições

vozeirão - vozeirões


b) terminação em -ãos:

acórdão - acórdãos

bênção - bênçãos

desvão - desvãos

órgão - órgãos

sótão - sótãos

cidadão - cidadãos

cristão - cristãos

pagão - pagãos

irmão - irmãos

mão - mãos


c) terminação em -ães:

alemão - alemães

cão - cães

capitão - capitães

sacristão - sacristães

guardião - guardiães

escrivão - escrivães

pão - pães

tabelião - tabeliães

capelão - capelães

charlatão - charlatães

d) alguns admitem terminação em -ões ou -ães:

alazão — alazões ou alazães

cirurgião — cirurgiões ou cirurgiães

rufião — rufiões ou rufiães

e) alguns admitem terminação em -ãos ou -ães:

refrão — refrãos ou refrães


f) alguns admitem terminação em -ãos ou -ões:

hortelão — hortelãos ou hortelões

anão — anãos ou anões

corrimão — corrimãos ou corrimões

verão — verãos ou verões

vilão —vilãos ou vilões


g) alguns admitem as três terminações -ãos, -ões ou -ães:

ermitão — ermitãos, ermitões ou ermitães

aldeão — aldeãos, aldeões ou aldeães

sultão — sultãos, sultões ou sultães

ancião — anciãos, anciões ou anciães

vulcão — vulcãos, vulcões, vulcães


3. Substantivos terminados em -r e -z – formam o plural pelo acréscimo de -es ao singular:


bar — bares

cruz — cruzes

mulher — mulheres

rapaz — rapazes

dólar — dólares

juiz — juízes

giz — gizes

perdiz — perdizes


4. Substantivos terminados em -s – quando não são oxítonos, ficam invariáveis. Quando oxítonos, formam o plural pelo acréscimo de -es:


Não oxítono

o lápis — os lápis

o pires — os pires

o ônibus — os ônibus

o atlas — os atlas


Oxítono

o ananás — os ananases

o país — os países

o revés — os reveses

o lilás — os lilases


Observação

cais e cós são invariáveis.


5. Substantivos terminados em -x


a) Os que possuem mais de uma sílaba não variam:

o tórax — os tórax

o látex — os látex

o telex — os telex

uma xerox — duas xerox


b) Os monossílabos fazem o plural em -es:

o fax — os faxes

o sax — os saxes


6. Substantivos terminados em -l


a) Se o l vier precedido de a,e,o,u (al,el,ol,ul), formam o plural trocando o -l por-

is:


animal — animais

papel — papéis

farol — faróis

álcool — álcoois


Observação

mal — males e cônsul — cônsules são exceções.


b) Se o l vier precedido de i (il), podem formar o plural de duas maneiras:

os oxítonos trocam o -l por -s:


os oxítonos trocam o -l por -s: barril — barris

funil — funis

fuzil — fuzis


os não oxítonos trocam o -il por -eis:

fóssil — fósseis

míssil — mísseis


Alguns plurais que merecem destaque


abdômen — abdomens ou abdômenes

júnior — juniores (ô)

caráter — caracteres (té)

mel — méis ou meles

espécimen — espécimens ou especímenes

hífen — hífenes ou hifens

sênior — seniores

líquen — liquens ou líquenes

gel — géis ou geles

real (moeda antiga) — réis


Plural dos diminutivos terminados em -zinho e -zito


O plural dos diminutivos terminados em -zinho e -zito é feito da seguinte

forma:

1. Coloca-se a palavra primitiva no plural:

balão – balões

mulher – mulheres

coronel – coronéis

cão – cães


2. Retira-se o -s de plural da palavra primitiva:

balões - s = balõe

coronéis - s = coronéi

mulheres - s = mulhere

cães - s = cãe


3. Acrescenta-se a terminação -zinho ou -zito seguida de -s:

balõe + zinho + s = balõezinhos

mulhere + zinha + s = mulherezinhas

coronéi + zinho + s = coroneizinhos

cãe + zito + s = cãezitos


Plural dos substantivos compostos


Não é fácil o plural dos substantivos compostos, uma vez que ocorrem muitas oscilações, mesmo no padrão culto da língua. Cumpre, no entanto, observar as seguintes regras:


1. Os substantivos compostos ligados sem hífen formam o plural como se fossem substantivos simples:

aguardente — aguardentes

pontapé — pontapés

passatempo — passatempos

girassol — girassóis


2. Nos substantivos compostos que apresentam seus elementos ligados por hífen, podem variar ambos os elementos, apenas um dos elementos ou nenhum deles, conforme as seguintes regras:


a) Nos compostos onomatopaicos (formados de palavras repetidas ou muito semelhantes), só o segundo elemento varia:

teco-teco — teco-tecos

bem-te-vi — bem-te-vis

reco-reco — reco-recos

tique-taque — tique-taques

quero-quero — quero-queros

pingue-pongue — pingue-pongues


b) Nos compostos cujos elementos venham unidos por preposição, só o primeiro elemento varia:


pé-de-cabra — pés-de-cabra

rabo-de-foguete — rabos-de-foguete

dor-d’olhos — dores-d’olhos

queda-d’água — quedas-d’água

joão-de-barro — joões-de-barro

pau-de-sebo— paus-de-sebo


c) Nos compostos formados de grão, grã, e bel seguidos de substantivos, só varia o segundo elemento:


grão-duque — grão-duques

grão-mestre — grão-mestres

grã-duquesa — grã-duquesas

bel-prazer — bel-prazeres


d) Nos compostos formados por dois substantivos, se o segundo elemento limita ou determina o primeiro, indicando tipo ou finalidade, a variação ocorre somente no primeiro elemento:


banana-maçã — bananas-maçã

peixe-espada — peixes-espada

fruta-pão — frutas-pão

salário-família — salários-família

caneta-tinteiro — canetas-tinteiro

homem-rã — homens-rã


Observação

1. Como nem sempre é fácil perceber se o segundo elemento limita ou restringe o primeiro, sugerimos o seguinte procedimento: se a relação entre os dois substantivos não for aditiva (procure acrescentar a conjunção e), com certeza o segundo substantivo estará limitando ou restringindo o primeiro:


banana-maçã não é banana e maçã

peixe-espada não é peixe e espada


2. Neste caso a flexão dos dois substantivos também é aceita: bananas-maçãs, peixes-espadas, frutas-pães, canetas-tinteiros, etc.


e) Nos compostos formados de verbo seguido de substantivo no plural ou de palavras invariáveis, ambos os elementos ficam invariáveis:


o saca-rolhas — os saca-rolhas

o caça-fantasmas — os caça-fantasmas

o porta-luvas — os porta-luvas

o vale-tudo — os vale-tudo


f) Para os demais substantivos compostos, convém observar o seguinte: só devem ir para o plural os elementos representados por substantivos, adjetivos e numerais. Verbos, advérbios e prefixos (recém-, ex-, vice-, etc.) ficam invariáveis.


Variam os dois elementos (substantivo + substantivo, substantivo + adjetivo, adjetivo + substantivo, numeral + substantivo):


couve-flor — couves-flores (substantivo + substantivo)

amor-perfeito — amores-perfeitos (substantivo + adjetivo)

puro-sangue — puros-sangues (adjetivo + substantivo)

quarta-feira — quartas-feiras (numeral + substantivo)

boa-vida — boas-vidas (adjetivo + substantivo)

primeiro-tenente — primeiros-tenentes (numeral + substantivo)

cabra-cega — cabras-cegas (substantivo + adjetivo)

obra-prima — obras-primas (substantivo + adjetivo)


Varia apenas o segundo elemento (verbo + substantivo, advérbio + adjetivo, prefixo + substantivo):


guarda-roupa — guarda-roupas (verbo + substantivo)

bem-amado — bem-amados (advérbio + adjetivo)

bate-boca — bate-bocas (verbo + substantivo)

abaixo-assinado — abaixo-assinados (advérbio + adjetivo)

guarda-chuva — guarda-chuvas (verbo + substantivo)

ex-deputado — ex-deputados (prefixo + substantivo)

beija-flor — beija-flores (verbo + substantivo)

recém-casado — recém-casadoa (prefixo + adjetivo)

sempre-viva — sempre-vivas (advérbio + adjetivo)

vice-prefeito — vice-prefeitos (prefixo + substantivo)

ave-maria — ave-marias (interjeição + substantivo)

alto-falante — alto-falantes (advérbio + adjetivo)

super-herói — super-heróis (prefixo + substantivo)


Observação

1. Quando a palavra guarda lembrar a pessoa, o militar ou vigia, e vier seguida de adjetivo, será substantivo e, portanto, irá ao plural:

guardas-noturnos, guardas-civis, guardas-florestais


2. Cabe lembrar que a palavra guarda-marinha admite dupla forma de plural: guardas- marinhas ou guardas-marinha.

Flexão de grau

Grau dos substantivos é a propriedade que essas palavras têm de exprimir as variações de tamanho dos seres. Além do grau normal, o substantivo pode se apresentar no grau aumentativo e no grau diminutivo.


A indicação do grau do substantivo pode ser feita de duas maneiras:


a) analiticamente: determina-se o substantivo por um adjetivo que indica aumento ou diminuição:


letra grande (aumentativo analítico)

letra pequena (diminutivo analítico)


b) sinteticamente: acrescentam-se ao substantivo sufixos indicadores de grau:


letrona (aumentativo sintético)

letrinha (diminutivo sintético)


Alguns aumentativos sintéticos que merecem destaque

amigo — amigalhão

animal — animalaço

bala — balaço

boca — bocarra

barca — barcaça

bobo — bobalhão

cabeça — cabeçorra

cão — canzarrão

chapéu — chapelão

copo — copázio

corpo — corpanzil

fogo — fogaréu

forno — fornalha

homem — homenzarrão

muro — muralha

mão — manzorra

nariz — narigão

pedra — pedregulho

rapaz — rapagão

sábio — sabichão

rocha — rochedo

voz — vozeirão


Alguns diminutivos sintéticos que merecem destaque


astro — asteroide

bandeira — bandeirola

barba — barbicha

burro — burrico

casa — casebre

chuva — chuvisco

cruz — cruzeta

espada — espadim

estátua — estatueta

festa — festim

farol — farolete

frango — frangote

guerra — guerrilha

ilha — ilhota

laje — lajota

lugar — lugarejo

papel — papelucho

ponte — pontilhão

rabo — rabicho

rio — riacho

rua — ruela

sala — saleta

sino — sineta

verão — veranico

via — viela

vila — vilarejo



116 visualizações
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram